domingo, outubro 15, 2017

 

Não é normal!


Estive ligado durante alguns anos à Direção dos Bombeiros do Marco. Sempre me deprimia ouvir as sirenes, ver correr os bombeiros a tentar apagar labaredas que pareciam engolir tudo à sua frente. Nessa altura, não havia muitos incêndios nos montes. Havia sempre gente a olhar pelas suas terras e talvez isso desmotivasse os incendiários. Hoje, andei à caça na Serra da Aboboreira. Andei acompanhado pelas minhas duas cadelas. O terreno que não estava ardido era um matagal fechado, entupido por silvas e tojo, que até as minhas cadelinhas gemiam por terem dificuldade em passar. Não vi viv´alma. No ano passado ainda via caçadores, encontrava-me com eles e festivamente bebíamos um copo acompanhado de um naco de chouriço. Hoje, não vi literalmente ninguém! Sei que diminuiu imenso o número de caçadores pelas dificuldades que os “urbanos” foram criando à caça, tornando-a quase um “crime de guerra”. As consequências estão à vista: da minha terra até ao Porto, por todo o lado, só se viam incêndios e a atmosfera estava saturada por uma pesada nuvem de fumo. Como é que se poderão evitar os fogos nos montes, nas serras, se, por lá, já não anda ninguém?

Não é possível que tantos fogos não tenham origem em mão criminosa e não me venham dizer que são os pastores para abrir espaço à verdura dos pastos. Os fogos têm origem criminosa e não me admirava muito que fosse uma estratégia para pôr em causa este governo. São demasiados!... E não andam por aí pirómanos que cheguem para atear tanto fogo. Mas a culpa, também é de quem vai dificultando o prazer de andar no monte, de sentir a alegria de conviver na caça com velhos amigos. Já não é possível que alguém escreva como Pascoais: “

“Ó natureza, qualquer coisa existe
De íntimo entre o meu peito e a tua essência!
Se medito, se canto, se estou triste,
Eu sinto, dentro de mim, tua existência”.

Se os incêndios nos tornam mais pobres, não é só pelo que arde (o que já é terrível!) mas também pelo que vamos perdendo da ligação afetiva a esta casa-comum, que é a natureza.

Comments: Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?