quinta-feira, dezembro 15, 2016

 

O entardecer chamou o frio,
e a neblina virou-me a cidade para dentro.
Não há inquietude, apenas silêncio e chuva
no puro caminho de uma interioridade.
A cidade afaga-me com a sua nostalgia,
e as utopias, os amigos e os afectos de outros tempos
chamam por mim em cada passo do meu destino.
E neste intimismo nasce o dialogo
de mim para a cidade que vive em mim.
Acordo a saudade nas ruas adormecidas
E nas cinzas do tempo o amor renasce.
A cidade é o espirito de um tempo.
E, por dentro, como é linda a minha Cidade!...
jbmagalhaes

Comments: Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?