segunda-feira, junho 04, 2007

 

Contra o esquecimento e para que os direitos humanos não sejam apenas o guardanapo encharcado de sangue que se atira à cara dos países pobres.

«Há 16 anos, Praça de Tien An Men enchia-se com dez mil estudantes que, desde 15 de Abril de 1989, construíam a 'Primavera de Pequim', depressa destruída,como a 'Primavera de Praga', em 1968.

Chegariam os carros de combate e a repressão, em 4 de Junho.

Continuamos sem saber o número de mortos nesse dia. E lembramos os muitos condenados à "bala na nuca", como apregoa a 'economia' chinesa. E o massacre.

Às vezes, esquecemos depressa os cantos das libertações adiadas.E valorizamos a economia, esquecendo a escravatura de milhões: as 11 horas diárias de trabalho, um só dia de descanso por mês, os dezoito milhões de presos trabalhando gratuitamente, a ditadura de um partido, a pena de morte,o tráfico de órgãos, a ocupação do Tibete...

Nesta manhã de sol, uma rosa para os mártires da LIBERDADE, na Praça de Tien An Men. E para todos os que sonham com ELA.»

in:http://sopadenabos.blogspot.com/2005_05_01_archive.html
Enviado por Amélia Pais.

Comments: Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?