terça-feira, maio 22, 2007

 
A criança que fui chora na estrada.
Deixei-a ali quando vim ser quem sou;
Mas hoje, vendo que o que sou é nada,
Quero ir buscar quem fui onde ficou.

Ah, como hei-de encontrá-lo? Quem errou
A vinda tem a regressão errada.
Já não sei de onde vim nem onde estou.
De o não saber, minha alma está parada.

Se ao menos atingir neste lugar
Um alto monte, de onde possa enfim
O que esqueci, olhando-o, relembrar,

Na ausência, ao menos, saberei de mim,
E, ao ver-me tal qual fui ao longe, achar
Em mim um pouco de quando era assim.

Fernando Pessoa

Enviado por Amélia Pais

Comments:
Caro Dr. João Baptista Magalhães,

Não é um comentário a este seu post. É apenas para lhe dizer que, atendendo a que estamos em presença de um seu comentário extenso, actual e interesante , tomei a liberdade de o transcrever para um post no Marco Hoje. Quando forem textos extensos pedia-lhe o favor de o enviar para o nosso mail: marcohoje@gmail.com

Obrigado.Apareça sempre. Boa noite e um abraço.

Paulo Vieira da Silva
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?