sexta-feira, abril 27, 2007

 




O Livro dos Amantes

IX






Pusemos tanto azul nessa distância
ancorada em incerta claridade
e ficamos nas paredes do vento
a escorrer para tudo o que ele invade.

Pusemos tantas flores nas horas breves
que secam folhas nas árvores dos dedos.
E ficámos cingidos nas estátuas
a morder-nos na carne dum segredo.

Natália Correia

Comments:
Quer saber uma coisa curiosa?!
Não gosto de Natália Correia.

O problema está, obviamente, em mim e não na Natália Correia. Mas,(que quer?), não gosto e pronto.

Maria
 
Não faça caso, não é original. Mas o poema é lindo.Colocarei, então,amanhã, outro poema. Espero que venha a gostar!
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?