segunda-feira, março 26, 2007

 

Salazar, não me espanta!!!...

Quem se poderá espantar que Salazar seja considerado o melhor português num concurso da RTP?!...

Temos um primeiro-ministro que ajustou as suas convicções socialistas ao seu currículo académico; os seus gestos, tom de voz e expressão de rosto às técnicas do espectáculo; que é uma surpresa agradável para banqueiros e um amargo de consciência para os que nele votaram.

Temos um primeiro-ministro que faz pagar a crise aos mais pobres, aos que vivem do seu trabalho, aos que mais precisam das escolas, das urgências hospitalares e das maternidades que ele fechou, que transformou a função pública num trabalho humilhante, desprestigiado e sem motivações e que vai permitindo que proliferem empresas municipais para boys dos partidos, nomeados sem critério e com o privilégio de receberem chorudos ordenados (8.800€,p.ex), beneficiarem de regalias (como cartões de crédito, de telecomunicações e carro com condutor), sem declararem rendimentos.

Perante tudo isto, o espanto cresce e muitos dirão, como afirmou alguém, que nos honra com a sua visita, num comentário ao post "Estou por tudo":


«Espanta-me um roubo tão descarado aos aposentados, via IRS
Espanta-me o encerramento, sem nexo, das urgências
Espanta-me o encerramento de Consulados e outros serviços úteis para os cidadãos
Espanta-me o empobrecimento da classe média
Espanta-me o forte incremento da clivagem social
Espanta-me o crescimento do número de carros da alta gama
Espanta-me o crescimento do desemprego
Espanta-me o aumento da tuberculose e de outras doenças que se julgavam banidas
Espanta-me a OTA e o TGV
Espanta-me que tudo isto se passe num governo PS
O que ainda mais me espanta é o grande desígnio nacional: O défice público!»

O espanto e o desencanto espelham bem um sentimento nacional de frustração. E, sendo assim, entre um primeiro-ministro plastificado e um Salazar imaginário, naturalmente é o imaginário da frustração que faz do Salazar o melhor português.

Estou certo que a convicção da necessidade de mudar de primeiro-ministro vai crescer, esvaziando o imaginário que faz de Salazar um incorruptível que colocou o servir a Nação acima dos jogos de poder e nunca permitiria que uma partidocracia vampiresca sugasse os impostos cobrados aos que só vivem do seu trabalho.

Comments:
Nunca votaria nesse Ditadorzeco, nem noutros politicos, Reis....
Sabe, Primo, em quem votaria eu? vou lhe dizer: quem se sacrifica pela Pátria, quem honra a palavra dada, etc...sabe quem?
-Egas Moniz que, pelo seu rei perjuro, descalço e de corda ao pescoço, com a familia se oferece, em penhor da palavra e da honra;
-Martim Moniz, morrendo encravado nas portas de Lisboa para dar passagem aos Portugueses;
-É Carvalho Araújo, defendendo sem esperança e até à morte o navio que escoltava, em plena I Grande Guerra Mundial;
E outros, muitos outros, que todos os dias se desgraçam para outros tantos terem glória, fama, riqueza e vaidade;
São uns pavões...
 
Quando se fizer a história deste governo, concluir-se-á que foi um mau governo, não conseguiu ir ao fundo dos problemas do País, desmobilizou os que melhor serviam o país, fez uma gestão de "dona de casa": cortou com as despesas primárias, não rasgou futuros de riqueza.

Mas o que poderemos esperar de um primeiro ministro que até faz batota com as suas habilitações!?...
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?