sábado, março 10, 2007

 

Para onde caminhamos?!...

Vasco Pulido Valente analise, hoje, no “Público” uma lei que colocará a PSP, a GNR, a PJ e o SEF sob uma autoridade (SIRP) que despachará directamente com o Primeiro Ministro.

Este modelo, inspirado no modelo espanhol (onde há terrorismo), difere, no entanto, do mesmo, aproximando-se do que acontecia no tempo de Oliveira Salazar.

Vasco Pulido Valente estranha, como nós, a distracção dos partidos da oposição e dos intelectuais para os perigos desta concentração de poderes, que configura um Estado-polícia.

E, depois de referir que não estão previstos mecanismos de controlo pela AR, nem garantias de respeito pelo direito à privacidade, sublinha: «Não se trata aqui do indivíduo Sócrates (…). Mas da própria existência desses poderes, que nada impede um sucessor, ou mesmo um ajudante obscuro, de eventualmente desviar (essa concentração de informações) para fins perversos».

Ninguém deveria ser indiferente a esta questão: estão em causa os princípios que dão sentido à democracia!

Comments:
Infelizmente, tudo isto cheira a ironia, não é verdade?
 
ÃNo meu entender, o que há é falta de uma oposição credível.
 
Parece o grande irmão, do 1984, do Orwell. Julgo que há motivo para alarme e prevenção...
Embora eu seja Socialista ( simpatizante, jamais militante, nem integrador de qualquer cargo )o poder absoluto...pode corromper...
 
Estou de acordo consigo. E devemos estar atentos!

A forma fascista de ver a segurança é colocar "ouvidos" por todo o lado. Temos de a saber resolver de outra forma, resolvendo os problemas que estão na oriem do terrorismo.
 
E que dizer da «novilingua»?- simplex, flexisegurança, nuts...e por aí fora!!!??
 
Adeus à bela palavra Comarca...
Este pessoal precisa de uma varridela como aconteceu com a I República...
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?