sexta-feira, junho 01, 2007

 

Vida de velho, triste vida!

Hoje, no VII Congresso Nacional das Misericórdias, em Braga, foi afirmado que uma em cada quatro pessoas, com mais de 65 anos, vive sozinha.

Diz a coordenadora da Unidade de Missão para os Cuidados Continuados Integrados em Portugal, Inês Guerreiro, que “tem que haver um plano individual de cuidados para cada doente e, em Portugal, ainda ninguém sabe fazer isso".

Haverá novidade nisto?!...

Com este governo só há um modelo de desenvolvimento: o que faz subir o PIB. Consequentemente, os velhos são descartáveis: onde lhes faz mais falta (no interior) fecharam os centros de saúde e as suas reformas (que ultrapassam o mínimo) foram penalizadas em mais 7%, descontam, agora, 19%.

Lembrará Sócrates, com aquela retórica de menino da comunhão solene: “não se esqueçam que antigamente só lhes davam uma manta!!!

Comments:
A velhice não constitui uma preocupação para os políticos.
O valor astronómico das reformas (amoralmente acumuladas) de qualquer ex-politico permite-lhes, quanto a essa matéria, dormir descansados!!!

Maria
 
A vida vai para os barões da política. O resto vai sendo descartável: descartável nas empresas, na Função Pública e nas reformas.

Tal como no tempo antes do 25 de Abril, só há um modelo de crescimento económico, de resolver os problemas do PIB, da saúde, da educação, etc.
 
Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?